O papel das construtoras na transição energética: Modernização das infraestruturas hidro renováveis no Brasil
Obras em Energia Elétrica

Em um cenário global marcado por desafios climáticos e instabilidade geopolítica, a necessidade de transição para fontes de energia mais sustentáveis e resilientes torna-se cada vez mais premente. Nesse contexto, as construtoras desempenham um papel fundamental na modernização das infraestruturas energéticas, impulsionando a transição energética do Brasil rumo a um futuro mais sustentável e resiliente.

Segundo Eduardo Teixeira, Head da Unidade de Negócios em Minas Gerais da SEEL Engenharia, é importante destacar a atuação das construtoras na revitalização das Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) como parte integrante dessa transição energética. Ele ressalta que, em um país como o Brasil, onde a matriz energética ainda é fortemente baseada em fontes hidrelétricas, a modernização das PCHs desempenha um papel vital para aumentar a produção energética de forma sustentável.

No contexto brasileiro, especialmente em Minas Gerais, a modernização das PCHs emerge como uma estratégia crucial para enfrentar os desafios impostos pela obsolescência das infraestruturas energéticas. O investimento projetado até 2026 para superar os 30 bilhões de reais, conforme levantamento da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), evidencia o compromisso do país com a energia hidro renovável como um pilar de sua matriz energética.

As obras de modernização das PCHs de Paciência e Coronel Domiciano, lideradas por Eduardo Teixeira e sua equipe na SEEL Engenharia, destacam-se como exemplos concretos do impacto positivo que a manutenção dessas infraestruturas pode ter.

“As revitalizações das PCHs de Paciência e Coronel Domiciano elevaram tanto a capacidade, quanto a eficiência das usinas, exemplificando o impacto positivo que as obras de modernização podem ter na fortificação e na sustentabilidade do setor energético. Os principais desafios que enfrentamos foram as cheias causadas pelas chuvas, mas nossa expertise fez com que o serviço fosse entregue com maestria e no melhor prazo possível.” – comenta Eduardo Teixeira.

A participação ativa de empresas de engenharia e construção, como a SEEL, é crucial no processo de transição energética. Empresas que estão constantemente se atualizando e inovando têm o conhecimento técnico necessário para conduzir projetos de revitalização, além da capacidade de explorar novas oportunidades em instalações hidrelétricas e ilhas de energia fotovoltaica. A versatilidade e competência técnica dessas empresas são essenciais para avançar no setor, permitindo a implementação de soluções que abordam tanto a necessidade de renovação quanto a expansão da infraestrutura energética.

Em conclusão, a modernização das PCHs representa uma resposta pragmática aos desafios das mudanças climáticas e à necessidade de transição energética no Brasil. Essas iniciativas não só aumentam a eficácia e o potencial produtivo de geração de energia hidrelétrica, mas também alinham o setor energético com os imperativos de sustentabilidade e segurança energética. As construtoras desempenham um papel crucial nesse processo, sendo fundamentais para impulsionar a transição energética do país em direção a um futuro mais sustentável e resiliente.

Eduardo Teixeira
Diretor de Negócios – Minas Gerais